Pages

Subscribe:

Ads 468x60px

Tecnologia do Blogger.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Fórum potencializa turismo na RM Vale



O Fórum Técnico Empresarial do Codivap Turismo olhou para seus circuitos turísticos com olhar promissor em relação a colocá-los como roteiro para a Copa do Mundo.



Palestrantes: Wanilson Fickert, Bruno Omori, Maria Carolina Cunha e Zélia Chagas

 “Os Desafios da Região Metropolitana frente aos Circuitos Turísticos e a Copa do Mundo”  foi o tema do 2º Fórum Técnico Empresarial do CODIVAP Turismo, que ontem (10) das 14h às 16h, no Parque Tecnológico de São José dos Campos, promovido pelo Codivap Turismo.


Continue lendo no Portal RM Vale.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Circuitos turísticos da RM Vale e Copa do Mundo em discussão






No próximo dia 10 de maio às 14 horas vai acontecer o 2º Fórum Técnico Empresarial do Codivap Turismo, no Parque Tecnológico de São José dos Campos. O evento tem por tema “Os desafios da Região Metropolitana frente aos desafios dos Circuitos Turísticos e a Copa do Mundo”.


Continue lendo no Portal RM Vale.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Primeira reunião do Conselho de Desenvolvimento da RMVale e Litoral Norte empossa prefeito de São José dos Campos como presidente


Encontro que marcou o início dos trabalhos do colegiado que aplicará as políticas públicas na Região Metropolitana, contou com a presença de 38 prefeitos, um suplente e dez representantes de secretarias de Estado.
Reunião do Conselho da Região Metropolitana do Vale do Paraiba e Litoral Norte - Parque Tecnológico de São José dos Campos

O secretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, esteve na manhã de hoje, 23 de abril, em São José dos Campos, na primeira reunião do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. Os assuntos abordados foram: Eleição do presidente e vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento; Apreciação do regimento interno provisório do Conselho de Desenvolvimento; Apresentação dos resultados dos Workshops “Construindo a Governança Metropolitana” realizados nas cinco sub-regiões; Aprovação da criação das Câmaras Temática relacionadas aos campos funcionais previstos no artigo 12 da Lei Complementar 1166/2012 – que cria o Conselho de Desenvolvimento.


Leia mais no Portal RM Vale.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Parabéns, São Sebastião

Parabéns, São Sebastião, pelo seus 376 anos em 16 de março!
Com mais de três séculos, São Sebastião é uma cidade que guarda os segredos da colonização portuguesa, da cultura indígena (primeiros habitantes), do povo caiçara e de muitos turistas que frequentam a cidade, suas belas praias e exuberante natureza.
São SebastiãoRM Vale: subregião Litoral Norte
Aniversário: 
16/03/1636
Padoreiro: 
São Sebastião (20/01)
Idade: 
376 anos (em 2012)
Antes da chegada dos portugueses, os índios Tupinambás (ao norte) e os Tupiniquins (ao sul) eram senhores da região, tendo como divisa de seu território a Serra de Boiçucanga.
América Vespúcio chegou à ilha em 20 de janeiro de 1502, dia de São Sebastião.
Este é o motivo do seu nome.
No entanto, a ocupação portuguesa só ocorreu com a divisão do território brasileiro em Capitanias Hereditárias.
Os sesmeiros que iniciaram a povoação foram: Diogo de Unhate, Diogo Dias, João de Abreu, Gonçalo Pedroso e Francisco de Escobar Ortiz.
Os engenhos de cana de açúcar eram os responsáveis pelo desenvolvimento econômico da região, o que possibilitou a emancipação político-administrativa de São Sebastião em 1636, que passou a ser baseado também no café, fumo e pesca da baleia.
O porto foi utilizado para o transporte de mercadores e do ouro mineiro, além de ter sido palco de piratas e contrabandistas.
Já na metade do século XIX a região tinha fazendas que produziam 86 mil arrobas de café pelos mais de dois mil escravos.
Com a abolição da escravatura e a abertura da ferrovia Santos-São Paulo, a economia sebastianense entrou em declínio.
Passa, portanto, a predominar a pesca artesanal e a agricultura de subsistência com pequenas roças de mandioca, feijão e milho – o que predomina até os dias de hoje nas comunidades caiçaras.
A implantação de infra-estrutura portuária chegou nos anos 40 e vinte anos após a Petrobrás instalou seu Terminal Marítimo Almirante Barroso (TEBAR).
Seu foco no turismo ocorreu nos anos 70 com a rodovia Rio-Santos que proporcionou a redescoberta do município como destino turístico. A cidade orgulha-se de trabalhar o turismo de maneira controlada e ecológica.
Dona de belezas naturais, São Sebastião conta com mais de 30 praias, cachoeiras, trilhas, águas claras, formações naturais e florestas com fácil acesso e grande diversidade de atrativos.
O ecoturismo é uma das opções para conhecer os ecossistemas da Mata Atlântica, Serra do Mar e da Zona Costeira, pois há uma grande diversidade ecológica que possibilita a prática do ecoturismo.
As trilhas são supervisionadas por órgãos que garantem a preservação ambienta.
Além, das 33 praias e de suas ilhas – um verdadeiro patrimônio aquático – os turistas podem visitar o patrimônio histórico da cidade e apreciar os museus, igrejas, centros históricos e artesanatos.
Os esportes náuticos, de aventura ou convencionais também se apresentam como opção turística.
Praias Maresias - Foto: Celso Moraes

Conhecendo as ilhas
O Arquipélago de Alcatrazes é comparado a Abrolhos (a 45 km do porto de São Sebastião) é um santuário que abria aves marinhas na época da reprodução, dentre os quais as “baleias-de-bryde”, orcas, golfinhos e tartarugas.
Há a ilha principal e outras menores: ilhas da Sapata, do Paredão, do Porto e do Sul; também há quatro ilhotas que não tem denominação.
Ilha Montão de Trigo (a 14 km do continente) é onde vivem as comunidades caiçaras no litoral.
Fica entre a enseada de Bertioga e o canal de São Sebastião.
Na ilha não há praia e o desembarque é feito por uma ponte rudimentar sobre as pedras.
Segundo lendas marítimas, seus habitantes seriam descendentes dos sobreviventes de um naufrágio, ocorrido há mais de três séculos. A ilha é muito visitada por surfistas e mergulhadores.
Praia Cambury - Pôr do Sol - Foto: PMSS
                                                     
As Ilhas (a 1,5 km da praia de Barra do Sahy, Juquehy e Barra do Uma).
Seu nome é devido a três elevações dando a impressão, de longe, de serem independentes, mas na verdade é apenas uma ilha com duas praias de areias brancas e finas e águas transparentes e calmas.
Nela podem ser avistados golfinhos, tartarugas e cardumes de peixes coloridos.
É o point dos navegantes.
Ilhas da Couves
Seu acesso é feito do continente por embarcações que partem da Barra do Una, Juquehy, Boiçucanga e Barra do Sahy.
Pelo mar avista-se a Toca da Velha, uma pequena caverna escavada pelo mar numa rocha de dez metros de altura.
É muito procurada por mergulhadores devido aos seus paredões que impedem a aproximação de grandes embarcações.

Ilhas dos GatosA praia que dá acesso à ilha foi criada artificialmente pela explosão das pedras costeiras para uso na construção da mansão, hoje em ruínas.
Para chegar até a ilha, pequenas embarcações e alguns barcos fazem a travessia, com partida das praias de Boiçucanga, Juquehy, Barra do Sahy e Barra do Una.

Ilhas de Toque-Toque Grande e Toque-toque pequeno
Do norte ao sul, a Ilha de Toque-Toque Grande é a primeira depois de Ilhabela, e localiza-se em frente à praia homônima. O local é procurado pelos mergulhadores.
A Ilha de Toque-Toque Pequeno, mais ao sul, é menor, lembra uma tartaruga quando vista da praia de Santiago.

Pousada Garoupas
Pousada Garoupas
Agradecemos à Pousada Garoupas que nos prestou algumas informações e enviou fotos da cidade.
A pousada possui 26 apartamentos com ar condicionado, ventilador de teto, banheiro privativo, televisão e alguns com frigobar.
Há conexão wi-fi grátis.
O turista ainda pode contratar serviços de lavandeira e aluguel de cadeiras, guarda-sol e toalhas de praia.



Conhecendo o Patrimônio Histórico da CidadeSão sete quarteirões e oito edifícios tombados no centro da cidade, em 1969.
Dentre as quais se encontram a Igreja Matriz, a Casa de Câmara a Cadeia e a Casa Esperança.
Rua da Praia - Foto: Luciano Vieira PMSS

Igreja Matriz
Foi construída no século XVII com pedra e cal.
O aspecto atual provém das obras concluídas em 1819.
O prédio passou por várias reformas sendo a última em 2001, que devolveu as características da influência jesuítica.
Casa de Câmara e CadeiaA Casa de Câmara e Cadeia acompanha as características da arquitetura do século XVII
A Casa EsperançaÉ a construção histórica mais nobre do município, feita em pedra e cal, com argamassa de conchas, areia e óleo de baleia.
Foi tombada , em 1955, pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).
As pedras que ornam as esquadrias vieram prontas de Portugal.
Ao seu lado, está o prédio da Secretaria de Cultura e Turismo que foi construído no século XIX e que foi a primeira escola pública do município.
Um pouco mais adiante está o sobrado do antigo Hotel Praia, uma construção do século XVIII com ornamentação típica da virada daquele século.
A capela São Gonçalo foi construída no século XVII foi construída em pedra assentada sobre barro e piso de terra batida.
Hoje abriga o Museu de Arte Sacra.
Fora do centro da cidade se encontram o Convento de Nossa Senhora do Amparo (1664) e a Fazenda Santana (1743), um exemplar do engenho açucareiro da região.

Matéria produzida em parceria com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de São Sebastião e a Pousada Garoupas.

Antonia Alves
Editora do Portal RM Vale

sexta-feira, 9 de março de 2012

Acontece Hoje Workshop Em Ilhabela



sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

RM Vale: Novas Regiões, Mais Desenvolvimento



quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Para Prefeita De Campos Do Jordão, Problemas Da RM Vale São Os Mesmos